29 março 2007

I am

I am a bird girl now
I've got my heart
Here in my hands now
I've been searching
For my wings some time
I'm gonna be born
Into soon the sky
'Cause I'm a bird girl
And the bird girls go to heaven
I'm a bird girl
And the bird girls can fly
Bird girls can fly
Antony and the Johnsons, "Bird Gerhl"

Apanhada

(daqui)

26 março 2007

Heartprints

...and again he said
"Believe me when I say there is no one but you."
...and so I did, again.
"Cross my heart and hope to die"
...that did it!
...
It was a lovely funeral.

21 março 2007

Março é um bom mês:

chega a Primavera, a floresta, a poesia e o sono partilham um dia e nasceram uns rapazes muito dotados na arte de escrever a toda a tecla que não fazem ideia do prazer que me dão quando os visito.
Falo dele, dele e dele.

Parabéns, meninos.


18 março 2007

When love speaks

Soneto 130
... um dos meus favoritos do disco, culpa do Alan Rickman.
Estava na Hipátia, ora vejam também...

7 Coisas e Loisas

A pedido da Gata aqui vai... finalmente!

7 coisas que faço muito bem:

Ouvir
Mousse de chocolate
“Sentir” os outros
Saber onde encontrar o que procuro no meio do caos.
Desligar-me
Servir de “ponte de ligação” mesmo quando os “pilares” acusam desgaste
Torta de laranja

7 coisas que detesto:


Arrogância
Violência
Mentira
Insensibilidade
Torradas mal feitas
Falta de brio profissional
Prepotência

7 coisas que me atraem no sexo oposto:

Inteligência
Mãos
Saber ouvir
Olhos
Humor
Sorriso
Ancas

7 coisas que costumo dizer:

Uáimãecuiniervos!
Môr
Sua besta!
Caraças!
Bons sonhos!
Adoro-te!
Paizinho, gasolina!!!


Quanto a passar esta batata quente a outras almas, não me parece, gosto tanto delas que as guardo todas só para mim. As batatas, bem entendido...

16 março 2007

Hoppípolla



Nanny, aqui está. Faz bem à alma.
Miau para ti.

13 março 2007

Wishlist

Há alturas em que quero começar a andar e andar e andar até as pernas não poderem mais ou ouvir Hoppípolla até me rebentarem os tímpanos.

09 março 2007

Cor-de-rosa

(daqui)

Hoje, tal como todos os anteriores dias 8 de Março, encomendei 40 e piques rosas para as cachopas da agência. Não é a minha flor preferida mas reúne consensos e contra consensos nem sempre há argumentos.

Eu tinha pedido uma mistura de cores mas parece que a escolha se resumia a amarelo pálido e cor-de-rosa e foi o que entregaram. A primeira ainda vá, mas cor-de-rosa... eu não gosto de cor-de-rosa. Também não gosto de amarelo mas pálido ainda se engole, agora cor-de-rosa!

Tudo isto para dizer que, na hora de escolher a minha flor peguei numa cor-de-rosa, assim mesmo, como quem toma óleo de fígado de bacalhau do antigo consciente de que sabe tão mal que só pode fazer bem.

Lembro-me de uma entrevista feita ao Sting, há muitos anos, onde ele dizia que um dia tinha começado a ouvir discos de jazz... acho que era jazz... e que detestava aquela música mas que não podia parar de ouvir porque se o incomodava assim tanto só podia fazer-lhe bem. Nunca mais me esqueci este comentário e ultimamente tenho aceitado um pedaço aqui e outro ali de "cor-de-rosa" na minha vida.

Há o perigo de efeitos secundários mas o balanço geral é bom. Chama-se crescimento. Outros chamar-lhe-ão masoquismo mas estamos num país livre, por isso...