21 dezembro 2007

Outra vez?

Sim! É Natal outra vez e lá por não apetecer escrever nada pelo menos isto terá de ser:
Feliz Natal para todos vocês, todos que aqui aparecem, todos os que eu gosto de visitar mesmo quando não o faço durante semanas.
Tratem muito bem de vocês, entendido?
Ok.
Até para o ano, então.

15 novembro 2007

O homem do mar

01.01.2007, da Madeira ao Porto Santo

Era um velho de olhos muito azuis e cara coberta de pequenas ondas. Nascera longe do mar e quando o vira pela primeira sentira como se nunca tivesse vivido. A partir desse dia escolheu-o como sua terra.
Sobre ele e por ele navegou, ora em cascas de noz ora em monstros portentosos. Quando, ao fim de meses, chegava a um qualquer porto encostava-se à amurada e ficava a olhar para o burburinho lá em baixo, os carros, as pessoas a deslocarem-se constantemente em movimentos brutos e pesados.
Ao contrário dos outros, não ia a terra. Assim que punha pé em chão firme sentia-se enjoado, zonzo, perdia o equilíbrio naquela rijeza que lhe suportava os passos. Se precisava mesmo de sair levava com ele um pequeno e maltratado leitor de cassetes no bolso. Dentro apenas uma cassete gravada com música das ondas, o assobio do vento, aqui e ali um grasnar de gaivota ou um canto de baleias. Atrevia-se então a sair e avançava por entre as gentes de peito oprimido mas seguro por aquele cordão umbilical.
Um dia saíra do barco levado às pressas para um hospital onde ficara o tempo suficiente para perceber que regressara de vez a terra firme. Pó és e ao pó voltarás. Mas ele não. Ele era água e sal, espuma, vento e sol...
Assim que pode levantou-se e saiu rumo ao mar. Lá chegado, deixou-se ir num consolo líquido de quem volta ao ventre materno.

29 outubro 2007

Corpos Celestes a pedido



Esta é a pedido. Para alegrar um pouco os dias cinzentos que por aí andam.

24 outubro 2007

Corpos Celestes



(Gostava muito de por aqui o link de onde tirei a foto, a César o que é de César etc, mas o gajo muda para uma
pouca-vergonhice ao fim de dois ou três dias pelo que desisto.)
Perdemos.
Isto anda mal, a minha mãe já se levanta e sai da sala ao primeiro ameaço de golo, mete mais um químico para a tensão e enfia-se na cama. E aquela coisa da Virgem se meter ao barulho há dias não ajudou nada.
Valha-nos o consolo de saber que o desporto faz bem à saúde e neste particular, aos olhos.
Vai um agradecimento especial a quem empunhava a câmara que não lhe tirava a dita de cima. Pudera, eu faria o mesmo!


Post-post e nota explicativa:
o link do Totti está corrigido. Eu juro que não sei como foi parar ali acima o outro link que direccionava para a foto de um senhor em práticas lúbricas com um(a) senhor(a?) bem dotado/a. Foi engano. Até porque era uma imagem de péssima qualidade e aqui só postalho do bom e do melhor (segundo a minha bitola, bem entendido). Só espero que a minha mãezinha não tenho clicado lá. Ó mãe, tu não clicaste, pois não?!

22 outubro 2007

Ainda faltou o Bôda mas a imaginação tem limites além disso já é Segunda e tenho de dormir e sabe-se lá mais o quê antes do próprio acto de dormir

Encontraram-se o Faifunga e o Ranafana no sítio do costume, trocaram bisgas e insultos e, como sobrava tempo, emborcaram umas mines e umas sandas de espada.
Quando saíram da tasca tinham o propósito estampado nas feias fuças.
Ajojaram atrás do portão do Grima, sobrinho do Trei-Tetas e não demorou muito até se ouvir um arrastar característico.
Saltaram então para a estrada, agarraram as partes pudibundas à mão-cheia e gritaram na direcção do perneta:
- Quilhamilha! Tu queres mas é mamar!
E fugiram aos solavancos de riso pelo caminho abaixo.

19 outubro 2007

Partes do corpo...

...começadas por Z:

- a zancas
- o zouvidos
- a zorelhas
- o zartelhos
- o zombros
- a zunhas
- o zovários
- a zartérias
- o zintestinos
- o zolhos

O saber não ocupa lugar. Já a parvoíce, por outro lado...

17 outubro 2007

Killers Kill, Dead Men Die

Que diabos fazem estes tipos todos aqui ao molho?
Se fossem só estes, mas há mais, ora vejam...

10 outubro 2007

Rabaçal, Agosto 2007

Quando o Inverno chegou a folha soltou-se, feliz, e vestiu-se de água.

04 outubro 2007

Amores de Verão

(daqui)
- És tão linda!
- Pára...
- É a tua cara, adoro a tua cara, a tua boca, comia-te a boca toda.
- És sempre o mesmo.
Ela sorri docemente.
- Tens a certeza? A que horas parte o avião? Há um hotel aqui perto...
Ela sorri docemente.
- Não podes chegar, partir e deixar-me sempre assim cheio de vontade de ti.
Ela sorri docemente.
Então ele olha-a por cima da mesa do café e fixa-lhe os olhos, a face delicada, o pescoço esguio e os lábios vermelhos até ao próximo Verão.
O amor é fodido.

30 setembro 2007

As voltas da vida


Caravana de dromedários perto de Nouakchott, Mauritânia.
Fico à espera de fotos destas gentes e lugar, dá-me uso a esse "olho" observador et surtout n'oublie pas un recette de tagine!
Até Dezembro,
As-salam’alaik

28 setembro 2007

"I'm a travel agent and I'm ok..."

"Conta a lenda que quando Deus entregou ao Homem o conhecimento sobre Aviação, Turismo, Hotelaria, etc., determinou que aquele saber iria ficar com um grupo muito pequeno e seleccionado.
Mas neste pequeno grupo, onde todos se achavam semideuses, apareceu alguém que iria trair as determinações divinas.

Aí aconteceu o pior: Deus, danado com a traição, resolveu fazer valer alguns Mandamentos:

01º Não terás vida pessoal, familiar ou sentimental.
02º Não verás teu filho crescer.
03º Não terás feriado, fins-de-semana ou qualquer outro tipo de folga.
04º Terás gastrite, se tiveres sorte. Se for como os demais terás úlcera.
05º A pressa será teu único amigo e as suas refeições principais serão os lanches, as pizas e o “take away”.
06º Teus cabelos ficarão brancos antes do tempo, isso se te sobrarem cabelos.
07º Tua sanidade mental será posta em cheque antes que completes 5 anos de trabalho.
08º Dormir será considerado período de folga, logo, não dormirás.
09º Trabalho será teu assunto preferido, talvez o único.
10º As pessoas serão divididas em 2 tipos: as que entendem de aviação/turismo e as que não entendem. E acharás isso engraçado.
11º A máquina de café será a tua melhor colega de trabalho porém a cafeína não te fará mais efeito.
12º Happy Hours serão excelentes oportunidades de ter algum tipo de contacto com outras pessoas loucas como você.
13º Terás sonhos com aviação/turismo e não raro resolverás problemas de trabalho neste período de sono.
14º Exibirás olheiras como troféu de guerra.
15º E, o pior: Inexplicavelmente, gostarás de tudo isso!"


Recebido por email e percebido principalmente por quem trabalha no ramo.

27 setembro 2007

Schmoozed

O BlackAngel deu-me um prémio, o Power of Schmooze Award.

"Este prémio é uma tentativa de reunir os blogues que são adeptos dos relacionamentos "inter blogues" fazendo um espaço para ser parte de uma conversação e não apenas de um monólogo..."

Apesar desta tasca andar ultimamente de portas meio fechadas meio abertas, obrigada cá do fundo, AnjoNegro.

Agora é a minha vez...





20 setembro 2007

Pedras preciosas



Well she tossed all nite like a ragin' sea
woke up an' climbed from th' suicide machine
with her spanish candles an' her persian poems
stuck on th' rocks inside opus 40 stoned
an' scratchin' her wrists in th' pourin' rain
she collapses down upon th' ocean floor again

Tears in waves minds on fire
Nights alone by yr side

Catskill mansions buried screams
i'm alive she cried but i don't know what it means
somewhere out there across th' moonlit sands
there's a line drawn like th' lines on her own hand
an' slammin' her eyes lockin' th' door
she collapses down upon th' ocean floor again

Tears in waves minds on fire
Nights alone by yr side

Mercury Rev, Opus 40

15 setembro 2007

Férias


Porto Santo, Setembro 2007

Uma semana no Porto Santo, uma semana em casa. Acabou. De volta à realidade.

24 agosto 2007

Literal

"I love you to bits" he said softly and then started his chainsaw.

09 agosto 2007

Golpe de vista


Ele: - Olha! Estou a ver a aura do teu coração!
Eu: - Não é aura, parvo, é o chacra. E não é o chacra, é o flash...


07 agosto 2007

Arcade Fire

Arcade Fire, Lisboa, já 04.07.2007

A foto é uma cagada se considerarmos que a fotógrafa sonhava com uma impressão nítida do que se passava em palco. Esquecendo tal considerando, ficou... assim.
Foi um dos pontos altos das férias. Foi fantástico, emocionante, arrepiante ouvi-los. Geralmente só vejo os meus heróis já em fase de pleno gozo de fama, mais ou menos barrigudos, mais ou menos inchados de si, por vezes a já terem visto melhores dias e a perderem a inspiração de vista.
Foi diferente, ver estes ainda fedelhos, ainda (mais ao menos) no começo. Não ouvi "I Will Follow" em Vilar de Mouros no século passado, mas ouvi pérolas do mesmo calibre nesta noite.
Para rematar, está uma alma a abanar-se quanto mais pode quando, vinda do nada, cai-nos em cima uma farta cabeleira encaracolada e somos abraçadas até ficarmos sem fôlego. "Môri! Eu sabia que ias estar aqui!"
Ele há noites assim...

26 julho 2007

Das férias e assim...

Despachorrenta, tem sido este o meu estado desde que voltei a casa.
Não apetece escrever nada, pouco ou nada circulo pelos blogues, ando muito caseira e com um estranho estado de espírito a atirar para o calmo/apaziguado/em-paz-comigo. Não é mau, sou capaz de me habituar a isto.
E como estou assim e este sítio começa a cheirar a mofo, vou abrir uma ou outra janela de vez em quando. Uma nesga de cada vez, devagarinho, para habituar os olhos à luz lá fora. As fotos de férias são uma boa desculpa.
Vamos lá, então.
Nazaré, 11 Julho 2007

30 junho 2007

Férias

Até daqui a 15 dias (se não apanhar um computador antes...).
Beijos e abraços a quem fica.


28 junho 2007

Anjos, Deus e similares



"Tal como os Mortais, os anjos fartam-se por vezes uns dos outros e querem estar sozinhos. Como as casas onde vivem estão sempre cheias, e não há mais lugar nenhum para onde ir, a única coisa que um anjo pode fazer nessas alturas é fechar os olhos e esconder a cabeça entre os braços. Quando um anjo faz isto, os outros percebem que ele está a tentar convencer-se de que está sozinho, e começam a andar à volta dele em bicos dos pés. A ajudar, são capazes de começar a falar sobre ele como se ele não estivesse ali. Se por acaso esbarrarem nele sem querer, ciciam: "Não fui eu"."

Nicole Krauss, "A História do Amor"

Lembro-me da primeira oração que aprendi com a minha mãe, "Anjo da Guarda, minha companhia, guarda a minha alma de noite e de dia". Fazia sentido então e continua a fazer sentido hoje, quando todas as outras já me soam como ecos esbatidos.

Diziam-me a semana passada que o meu grande problema é uma falta de Fé enraizada, que ando há muito afastada de Deus. E é realmente verdade. O meu problema é que estou convencida que sou Deus. Eu e os restantes entes deste mundo. E embora ache que somos seres fantásticos, a maior parte do tempo fazemos tanta mas tanta miséria que realmente apetece "fechar os olhos e esconder a cabeça entre os braços".

Outras vezes não.

Ser Deus é muito complicado.

23 junho 2007

Fantasias de uma dona de casa

(Tempestade no deserto. Um gigantesco Shai-Hulud corta as areias convulsas, imperturbável, em busca de especiaria...)
...
...
...
...
...
...
...
...
...
...
...
(pousando a câmara na bancada):
- Passa-me aí outro pano da loiça que este está encharcado!

18 junho 2007

8º Funchal Jazz Festival

roubado daqui


Este ano não vou lá estar. Não se pode ter tudo, pelo menos enquanto não treinarmos a ubiquidade mais afincadamente :)

12 junho 2007

Santo António, 12.06.1988

Era tarde e nós embrulhados algures entre o Castelo e a Praça do Comércio.
Alguém passou num carro e gritou "arranjem um quarto!".
Faz hoje 19 anos de lambeijos.

10 junho 2007

Nos dias bons chegava à beira, fincava os dedos dos pés até arranhar o lodo e mergulhava. Nesses dias podia com o mundo inteiro na palma da mão e levava-o com ela até ao fundo. Chegada aí, largava-o, batia com os pés na areia e cortava veloz até à superfície onde ficava a arquejar à procura de ar e mais ar para encher os pulmões. Depois estirava-se na água e ficava assim, ora de pernas encolhidas, ora a adejar os braços, ora a andar de bicicleta de lado obrigando o corpo a rodar sobre si próprio. E nunca se afundava, boiava sempre, daquela maneira estranha e desinquieta. Até a pele engelhar e as unhas ficarem roxas.
Nos dias maus chegava à beira, fincava os dedos dos pés até arranhar o lodo e ficava.
Nesses dias o mundo inteiro era-lhe pesado e tinha a certeza de que se mergulhasse nunca mais conseguiria voltar à superfície.
Então descia e deixava-se ficar na beirinha. Apanhava conchas e pequenos búzios que o mar descartara da sua colecção enquanto aguardava que o mundo ficasse mais leve. Só então o equilibrava na palma da mão e corriam os dois mar adentro.

06 junho 2007

Cinzeiro partido no canto...

...não se vê, mas é verdade. Que seria de nós se tudo o que é verdade se visse.

17 maio 2007

Pormenores

Porto da Cruz, Maio 2007

"... mas ao fim de algum tempo damo-nos conta de que tendo meio centímetro de alguma coisa temos mais chances de preservar um certo sentimento do universo do que se pretendermos fazer o céu inteiro."

Nicole Krauss, A História do Amor

06 maio 2007

Cruzinha

Daqui a umas horas tenho de ir votar.
Assim como quem arranca um dente a sangue frio.
Num gajo não voto. No outro só se não olhar para a cara dele e pensar que por detrás está aquilo que considero mais perto de ser o "meu partido". Nos outros a seguir só por respeito político, a modos como as Testemunhas de Jeová: não nos apetece aturá-las mas admiramos o esforço, o empenho...
Sinceramente só vou votar porque um dia, há muito tempo, houve gente que lutou com unhas e dentes para que eu o pudesse fazer hoje. Ponto final.

25 abril 2007

33 anos depois

é bom podermos "brincar" Abril como estes putos.
Obrigada a quem o permitiu.

20 abril 2007

Amy Sol

"Your Meadow, My Ocean Floor" acrylic on wood panel

16 abril 2007

Alma


Looking out the door i see the rain fall upon the funeral mourners
Parading in a wake of sad relations as their shoes fill up with water
And maybe i'm too young to keep good love from going wrong
But tonight you're on my mind so you never know

When i'm broken down and hungry for your love with no way to feed it
Where are you tonight, child you know how much i need it
Too young to hold on and too old to just break free and run

Sometimes a man gets carried away, when he feels like he should be having his fun And much too blind to see the damage he's done
Sometimes a man must awake to find that really, he has no-one

So i'll wait for you... and i'll burn
Will I ever see your sweet return
Oh will I ever learn

Oh lover, you should've come over
'Cause it's not too late

Lonely is the room, the bed is made, the open window lets the rain in
Burning in the corner is the only one who dreams he had you with him
My body turns and yearns for a sleep that will never come

It's never over, my kingdom for a kiss upon her shoulder
It's never over, all my riches for her smiles when i slept so soft against her
It's never over, all my blood for the sweetness of her laughter
It's never over, she's the tear that hangs inside my soul forever

Well maybe i'm just too young
To keep good love from going wrong

Oh... lover, you should've come over
'Cause it's not too late

Well I feel too young to hold on
And i'm much too old to break free and run
Too deaf, dumb, and blind to see the damage i've done
Sweet lover, you should've come over
Oh, love well i'm waiting for you

Lover, you should've come over
'Cause it's not too late

Lover, You Should've Come Over, Jeff Buckley

"Meu, isto é alma!" O dvd passava e nós, sentados por ali e por aqui, um bocado de álcool a mais uns, something else outros, ouvíamos. ... e ele inclinava a cabeça para trás, passava a mão nos cabelos, olhava-o no écran e semicerrava os olhos, já pequeninos... "Isto é alma, pá." Exacto, meu, alma em estado puro.

04 abril 2007

Sem tempo nem pachorra...





... para nada, muito menos para ir ao cabeleireiro.
Ainda bem que há alternativas.

(recebido dele, via email)

29 março 2007

I am

I am a bird girl now
I've got my heart
Here in my hands now
I've been searching
For my wings some time
I'm gonna be born
Into soon the sky
'Cause I'm a bird girl
And the bird girls go to heaven
I'm a bird girl
And the bird girls can fly
Bird girls can fly
Antony and the Johnsons, "Bird Gerhl"

Apanhada

(daqui)

26 março 2007

Heartprints

...and again he said
"Believe me when I say there is no one but you."
...and so I did, again.
"Cross my heart and hope to die"
...that did it!
...
It was a lovely funeral.

21 março 2007

Março é um bom mês:

chega a Primavera, a floresta, a poesia e o sono partilham um dia e nasceram uns rapazes muito dotados na arte de escrever a toda a tecla que não fazem ideia do prazer que me dão quando os visito.
Falo dele, dele e dele.

Parabéns, meninos.


18 março 2007

When love speaks

Soneto 130
... um dos meus favoritos do disco, culpa do Alan Rickman.
Estava na Hipátia, ora vejam também...

7 Coisas e Loisas

A pedido da Gata aqui vai... finalmente!

7 coisas que faço muito bem:

Ouvir
Mousse de chocolate
“Sentir” os outros
Saber onde encontrar o que procuro no meio do caos.
Desligar-me
Servir de “ponte de ligação” mesmo quando os “pilares” acusam desgaste
Torta de laranja

7 coisas que detesto:


Arrogância
Violência
Mentira
Insensibilidade
Torradas mal feitas
Falta de brio profissional
Prepotência

7 coisas que me atraem no sexo oposto:

Inteligência
Mãos
Saber ouvir
Olhos
Humor
Sorriso
Ancas

7 coisas que costumo dizer:

Uáimãecuiniervos!
Môr
Sua besta!
Caraças!
Bons sonhos!
Adoro-te!
Paizinho, gasolina!!!


Quanto a passar esta batata quente a outras almas, não me parece, gosto tanto delas que as guardo todas só para mim. As batatas, bem entendido...

16 março 2007

Hoppípolla



Nanny, aqui está. Faz bem à alma.
Miau para ti.

13 março 2007

Wishlist

Há alturas em que quero começar a andar e andar e andar até as pernas não poderem mais ou ouvir Hoppípolla até me rebentarem os tímpanos.

09 março 2007

Cor-de-rosa

(daqui)

Hoje, tal como todos os anteriores dias 8 de Março, encomendei 40 e piques rosas para as cachopas da agência. Não é a minha flor preferida mas reúne consensos e contra consensos nem sempre há argumentos.

Eu tinha pedido uma mistura de cores mas parece que a escolha se resumia a amarelo pálido e cor-de-rosa e foi o que entregaram. A primeira ainda vá, mas cor-de-rosa... eu não gosto de cor-de-rosa. Também não gosto de amarelo mas pálido ainda se engole, agora cor-de-rosa!

Tudo isto para dizer que, na hora de escolher a minha flor peguei numa cor-de-rosa, assim mesmo, como quem toma óleo de fígado de bacalhau do antigo consciente de que sabe tão mal que só pode fazer bem.

Lembro-me de uma entrevista feita ao Sting, há muitos anos, onde ele dizia que um dia tinha começado a ouvir discos de jazz... acho que era jazz... e que detestava aquela música mas que não podia parar de ouvir porque se o incomodava assim tanto só podia fazer-lhe bem. Nunca mais me esqueci este comentário e ultimamente tenho aceitado um pedaço aqui e outro ali de "cor-de-rosa" na minha vida.

Há o perigo de efeitos secundários mas o balanço geral é bom. Chama-se crescimento. Outros chamar-lhe-ão masoquismo mas estamos num país livre, por isso...

27 fevereiro 2007

Irlanda, Setembro de 1990

Knock
(Christy Moore)

At the early age of thirty-eight Me mother said 'Go West!'

'Get up, ' says she. 'and get a job'. Says I, 'I'll do my best'
I pulled on me Wellingtons to march to Kiltimagh
But I took a wrong turn in Charlestown and ended up in Knock

Oh once this quiet crossroads was a place of gentle prayer
Where Catholics got indulgent once or twice a year.
You could buy a pair of rosary beads or get your candles blessed
If you had a guilty conscience you could get it off your chest.

Then came the priest form Partry father Horan was his name
And since he's been appointed Knock has never been the same.
'Begod,' says Jem, 'tis eighty years since Mary was adout.'
'Tis time for another miracle.' and he blew the candle out.

CHORUS
From Fatima to Bethlehem, from Lourdes to Kiltimagh,
There's never been a miracle like the airport up in Knock

To establish terra firma he draw up a ten year plan
And started running dances around 1961.
He built a fantabulous church, Go h-álainn, on the holy ground
And once he had a focal point he started to expand

Chip shops and Bed and Breakfasts sprung up over night.
Once a place for quiet retreats now a holy sight.
All sorts of fancy restaurants for every race and creed
Where black and white and yellow pilgrims all could get a feed

The stalls once under canvas became religious supermarts
With such a range o' godly goods, they had top twenty charts.
While the airport opposition was destroyed by James' trump card.
For centenary celebrations he got John Paul the twenty-third

CHORUS
From Fatima to Bethlehem, from Lourdes to Kiltimagh,
There's never been a miracle like the airport up in Knock


'We had the Blessed virgin here,' Bold Jamesie did declare,
'And Pope John Paul the twenty-third appeared just over there.'
'Now do you mean to tell me', he said in total shock,
'That I am not entitled to an airport here in Knock.'

TD's were lobbied and harassed with talk of promised votes
And people who'd been loyal for years now spoke of changing coats.
Eternal damnation was threatened on the flock
Who said it was abortive building airports up in Knock

Now everyone is happy the miracle is complete.
Father Horan's got his runway, it's eighteen thousand feet
All sorts of planes could land there, of that there's little doubt,
handy for the George Bush to keep knock Gadaffi out.

CHORUS
From Fatima to Bethlehem, from Lourdes to Kiltimagh,
There's never been a miracle like the airport up in Knock


Did NATO donate, me boys, did NATO donate the dough?
Did NATO donate, me Girls, did NATO donate the dough?
Did NATO donate the dough, the dough, did NATO donate the dough?
Eighteen thousand feet of runway is an awful long way to go.

(Foster & Allen - popular Irish folk duo)
(TDs - Teachtarai Dail, Members of the Irish Parliament)


Amor, que fizemos nós a esta "tape"? Mais uma "missing in action". Deve ter ido parar ao "bruscar"...

24 fevereiro 2007

Vou já comprar um lépetóp

Na próxima vez que estiveres num avião com o tipo mais irritante do mundo sentado na cadeira do lado, sabes, aquele que refila e protesta por tudo e por nada...

1. Puxa da pasta do laptop e pousa-a nos joelhos;
2. Abre-a calma e pausadamente;
3. Abre o laptop e liga-o, respirando pesadamente;
4. Assegura-te de que o ente execrável sentado ao teu lado consegue ver perfeitamente o écran;
5. Abre esta mensagem.
6. Inspira profundamente, fecha os olhos e ergue a cabeça para o céu enquanto murmuras uma oração ininteligível;
7. Então, carrega neste link.
(via email, traduzido e aumentado pela dona da casa)

22 fevereiro 2007

Homens

(daqui)

"...Agora, como então, não é medo que se apodera dele, apenas inquietude, apenas uma maior percepção das coisas. A brisa marinha friamente beijando o suor no seu peito e pescoço. Gaivotas grasnando, queixando-se, mesmo enquanto se banqueteiam de milhares de cadáveres flutuantes. A respiração cadenciada dos trezentos rapazes atrás de si... prontos a morrer por ele, sem um momento de hesitação. Todos eles. Prontos a morrer. Eles pensam que sabem o que isso significa."
Frank Miller, "300"

19 fevereiro 2007

Oposi quê?

Na sequência da suposta "queda" do Alberto e ouvindo a oposição falar percebe-se perfeitamente porque é que o homem continua à frente dos "destinos" da Madeira.
Ó anjos, nunca ouviram falar em golpes de rins? Ele não caiu, atirou-se ao chão e prepara-se para se erguer de novo quando bem lhe apetecer.
Com uma oposicoisa destas dá cá uma vontadinha de votar Alberto!... o que vale é que depois de 3 ponchas volta-se ao normal.
Uaimãecuiniervos!

16 fevereiro 2007

Francisco, 12 anos.


(daqui)
"...numa tempestade num oceano isso é representado para mim as grandes mudanças em que eu passo e que eu fazia por muitos anos, depois tudo ficava melhor a água roxa tornou-se rosa e que representava o portal do amor e depois havia uma queda de água em que era azul-amarelada, e que representava um dragão de chamas com uma pele igual a um arco-íris e depois havia um arco-íris que representava um portal da amizade. Este é o meu sonho."

"Mãe, eu tive um sonho" e eu a enfiar uma pouca tralha para correr para o aeroporto e começas tu a desfiar o teu sonho, algo muito raro. E eu atrasada e aparvalhada com o que dizias sem tempo para digerir, pedi-te para escreveres tudo o que te viesse à cabeça, tudo o que te lembrasses desse sonho. E no regresso deste-me o papel com estas linhas, escrito à velocidade e medida do que te vai na cabeça, não de necessidades ou preocupações de escrita, assim de rajada, sem filtros, como tu. Guardo-o desde então.
Foste o meu melhor presente de aniversário há 12 anos e continuas a sê-lo todos os dias.
Parabéns, meu amor.

11 fevereiro 2007

Alma sensível

(via email)
Era diferente, sempre fora. Desde pequeno agarrado ao avental da mãe e, mais tarde, agarrado aos vestidos e sapatos de salto dela. Dos saltos desistira, era um desequilibrado por natureza, mas dos vestidos não. Nem das "écharpes" e penugens diversas que enrolava no pescoço com jeitos e trejeitos coquetes qual Isadora Duncan de maçã de adão sobredesenvolvida. E porque previa para si um fim semelhante, enquanto amealhava para um descapotável em segunda mão treinava com o cilindro durante a hora de almoço.

11 Fevereiro 2007

Sim.

07 fevereiro 2007

01 fevereiro 2007

15 de Fevereiro, to whom it may concern...

... sim, a ti, para que não te queixes que eu nunca digo nada e tal e coisa.
E não julgues que a lista fica por aqui, vai sendo actualizada para dar muita hipótese de escolha.

Lambeijos por ali e acolá também.